Rodeiro

Origem

"A história de Rodeiro iniciou-se com a catequização dos índios coroados e caiapós, que viviam em guerra com expedições que invadiam a região em busca de riquezas.

Depois que esses índios foram apaziguados, ao final do século XVIII, devido à política adotada pelo Governador da Província e executada pelo padre Manoel de Jesus Maria, com a ajuda do coronel Guido Tomás Marlière, as expedições de colonizadores passaram a transitar livremente pelo leste mineiro, hoje Zona da Mata. Andavam à procura de ervas medicinais, descobrindo lavras de ouro e instalando fazendas de lavouras e pastoreio pelos vales do Rio Pomba e seus afluentes, como o Ubá, o São Geraldo, o Xopotó e o Novo.

Nos últimos anos do século XIX, surgiu o povoado de São Sebastião da Boa Esperança do Rodeiro, município de Ubá. Esse nome não vingou. O povoado passou a denominar-se simplesmente Rodeiro, tendo São Sebastião como seu padroeiro." (trecho do livro "Rodeiro: Um olhar sobre sua história", de Silvia de Azevedo Nicolato)

O Nome

"...Próximo à Casa dos Angicos, morava Manoel Lino Isidro, cujo pai, Antonio, ali montara tempos atrás uma pequena carpintaria, onde fabricava, juntamente com seu filho, rodas para carros de bois e carroças. Todos os que precisavam de seus serviços profissionais diziam: 'vou ao rodeiro', isto é, vou à casa do homem que fabrica rodas. O ofício da família firmou-se, assim, como referência para a identificação da localidade, acabando por ser incorporado ao nome de Manoel Lino Isidro, que passou a ser conhecido como Manoel Lino Rodeiro". (trecho do livro "Rodeiro: Um olhar sobre sua história", de Silvia de Azevedo Nicolato)


Vista de Rodeiro do alto do Cruzeiro (Foto: Vagnão - 20/01/2002)

Informações Estatísticas

Denominação anterior: São Sebastião da Boa Esperança do Rodeiro, emancipado de Ubá em 30/12/1962, de acordo com a Lei 2764.

Área: 72,08 km²

População (em 1996):
- População urbana: 3.240
- População rural: 1.069
- População total: 4.309
- Grau de urbanização: 75,19%
- Densidade demográfica: 59,39%

Taxa de crescimento:
- Urbana: 6,74%
- Rural: -5,4%
- Total: 2,82%
- Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), em 1991: 0,57%
(fonte: Projeto Cidades - www.cidades.mg.gov.br)

Homenagem

Fomos participar da festa de São Sebastião (20/01/01) em minha cidade, Rodeiro, na Zona da Mata de MG. Festa tradicional que a comunidade rodeirense faz questão de preservar, com todo um ritual que tem início às 5 da manhã com o toque da alvorada e vai por todo o dia, culminando com a procissão dos cavaleiros, que o meu pai, Toninho Juste, prestigiou com sua presença até o último ano de estada entre nós, se constituindo, sempre, como um dos cavaleiros do primeiro time.

Pois neste ano de 2001, um grupo de amigos me homenageou com a inauguração de uma estátua bem no trevo de entrada da cidade, um cabeludo, com o boné pra trás e o violão pendurado no pescoço, com o olhar direcionado pra Bagagem, a roça onde nasci, uns 2 ou 3 km de Rodeiro. Foi demais, um verdadeiro teste cardíaco. Lá estavam, entre um montão de amigos, a madrinha Leda, irmã da mamãe, o tio Zezé, grande maestro que comandava a orquestra formada pelos meus tios na minha infância, foi muita emoção. Ainda bem que tive minha equipe e a Nô durante todo o tempo ao meu lado ajudando a segurar a onda.

Passou pela minha cabeça um grande filme, lembrei dos domingos que o meu pai levava meu irmão Carlos Antonio e eu pra cidade, à bordo da charrete da família, o guaraná, o picolé. Foi um dos poucos momentos em minha vida que não tive palavras pra me expressar. Me restou o silêncio, só tinha pensamento pros meus pais, que, com certeza, estavam presentes.

Um dia inesquecível! Muito obrigado, amigos de Rodeiro.